• Ana Margonato

Desarranjos

Atualizado: 16 de mar. de 2021

Desarranjos

A prevalência na arte do viver.

Dias calmos as vezes surgem

Mas é no movimento

que se expande o aprender.


A calmaria vem de dentro

Em forma de respiros e paciência.

Aqui fora, tudo gira

Um pouco de calma e altas doses de resiliência.


Seria o caos o detentor do saber?

Um professor nada querido.

Um jeito nada amistoso

De ensinar sobre o doce e o dolorido.


Desarranjos

Entre os dias impõe seu presença.

Aprendizados, gera muitos

E as vezes, umas desavenças.


Desarranjos

Presente sempre estarão.

Como lidar com esses Infortúnios?

Se alguém sabe dizer, por favor, não me deixem na mão.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mergulhos

Um sopro